6 de junho de 2012

A (in)tolerância

A intolerância é um tema que me dá nos nervos.
Todos somos livres e se há coisa que o 25 de Abril nos trouxe foi a liberdade de expressão e outros direitos associados a este. Mas ter liberdade e sermos livres de nos expressar não implica que não respeitemos os outros. O respeito é algo fundamente na relação entre as pessoas e já presenciei a falta dele tantas vezes que começo mesmo a ficar irritada.

Em temas como a religião, política, o aborto, as touradas, a homossexualidade e tantos outros... então isto é visível a toda a hora.

A este propósito, lembro-me sempre de uma cena que presenciei na faculdade, a respeito do referendo do aborto. Havia pessoas no grupo em que eu estava que iam votar "sim" e outras que iam votar "não"!
A partir daqui gerou-se um pequeno debate onde vários colegas começaram a apontar as suas opiniões e convicções. Até aqui tudo bem, a discussão de vários pontos de vista, desde que seja saudável, é sempre bem vinda.
O pior foi que uma das pessoas, insurgiu-se de tal forma contra uma colega que dizia ir votar "sim", que começou a ofende-la, a ser desagradável, tendo tornado aquilo tudo numa cena tão lamentável, que vários anos depois ainda me recordo.

Outro caso, foi recentemente uma cena que assisti vinda de um casal testemunha de Jeová perante um grupo de pessoas Católicas. Foi tão desagradável que ninguém dos presentes conseguiu ficar indiferente.
Parece que quando toca à religião então a intolerância é ainda maior. Porque que é que as pessoas, independentemente da religião que professam e das suas convicções não podem aceitar que nem todos sejam assim? Será que as pessoas não conseguem ser tolerantes em relação aos outros porque simplesmente acham que aquilo em que acreditam é que é a pura verdade? Nós não somos donos e senhores da verdade e se gostássemos todos do mesmo e até seguíssemos todos as mesmas linhas, isto não era tudo bem menos interessante?

Eu acho que sim! E acho que, independentemente daquilo em que acredito e que me debato, os outros têm sempre direito a espaço para dar a sua opinião, independentemente desta ser ou não igual à minha.

E o pior é que hoje em dia, quando estou perante certas situações quase que já me inibo de dizer o que penso, pois temo a reacção facciosa de algumas pessoas.
É por isto que agora adoptei uma boa estratégia. Quando estou seja onde for, e se fala de um qualquer tema mais "quente", assim que dou a minha opinião e vejo alguém a insurgir-se contra ela de uma forma mais efusiva (a caminho de descambar a cena) digo logo "Seja qual for a tua opinião respeito-a, por isso agradeço que faças o mesmo com a minha".
Custa assim tanto sermos tolerantes?
Ou temos de começar a ficar calados para não sermos agredidos?

6 comentários:

amiga da onça disse...

Tens a atitude certa.
Temos de saber ouvir as diferenças dos outros e respeitá-las, quer concordemos ou não.
Ficar calada é que não é "a minha praia"

Quase nos "entas" disse...

Eu já fui de defender a minha causa até cansar os santos...sempre sem ofender ninguem claro....hoje emn dia tou-me um pouco nas tintas sabes....discutam mas nao me aborrecam ;)
cada um é livre de escolher o que quiser....

Deia Teixeira disse...

Ficar calada para mim está completamente fora de questão, tal como concordar só para evitar discussões.
E um dia irei educar os meus filhos a serem ainda mais intelectuais que eu para conseguirem ter opinião própria de tudo um pouco.

Mas sinceramente, penso que esta atitude "agressiva" a que te referes esteja a mudar, lembro-me que no tempo dos meus avós um exemplo muito simples era: o meu avô abria a boca a minha avó tinha de concordar... hoje em dia felizmente estamos muito longe disso.

E penso que se conseguirmos defender bem a nossa opinião, com bons factos, argumentando e evidenciado as coisas a conversa corre mais ou menos bem.
Sabes que o grande mal por vezes é a forma como é dito, e essa mesma "forma" é que poderá chocar os outros...
*

S* disse...

Eu gosto de ouvir as opiniões dos outros e não me importo que discordem de mim... desde que saibam argumentar!

Viagem com tudo incluído disse...

Eu também não me importo nada que discordem de mim. Tal como disse no post, uma discussão desde que seja saudável, é sempre bem vinda. Agora ver cenas como as que descrevi é que me irrita profundamente, porque nestes casos as pessoas foram intolerantes e chegaram a ser mal educadas com os restantes.

Mas como diz a Deia, quero acreditar que esta atitude "agressiva" esteja a mudar, ou pelo menos que as pessoas intolerantes sejam cada vez menos.

Deia Teixeira disse...

Vamos pô-las a mexer daqui pa fora! lool :)

Fé! Fé nas mentes abertas a surgirem como cogumelos pff!