12 de julho de 2012

Será culpa?

Tendo em conta a minha actual situação profissional (ou falta dela para ser mais precisa), todos os dias dedico tempo para a procura de emprego e coisas que tais. Tenho feito muitos contactos, participado em várias iniciativas, e outras coisas que agora não vale a pena estar aqui a enumerar.


Nestes meses todos, e ao contrário do que muitas vezes se julga acerca dos desempregados, tenho dedicado muito pouco tempo ao ócio.
Contudo e tendo em conta que chegou o Verão, e tem havido alguns dias mais ou menos agradáveis para a praia, tenho aproveitado para ir. Uns dias vou de manhã, outros de tarde, e alguns fui de manhã, vim a casa almoçar, e depois volto.
Mas sinceramente penso sempre que com isto faço parte do tamanho número de pessoas que neste momento apenas trabalha para o bronze. E fico um pouco triste por isso. Adoro praia, e adoro ir e estar na praia e isso não está sequer em causa, mas nos últimos dias tenho pensado muito sobre isto.
Parece que estou a aproveitar algo que não está certo. Que não devia fazer, porque o correcto era estar a trabalhar em vez de estar ali.
Sei que não estou a cometer um crime e que se não tenho trabalho é porque ainda não o consegui de facto, pois acreditem que passiva é coisa que não sou e que me tenho esforçado MESMO muito para conseguir trabalho o quanto antes. Mas a verdade é que parece que me sinto culpada, não sei.

Provavelmente ao ler tudo isto, devem estar a pensar que sou meio doida, mas tenho-me mesmo sentido assim :(

10 comentários:

S* disse...

Suponho que o Verão seja sempre para aproveitar, mas sem emprego é impossível relaxar.

AngieM disse...

Acho que não devias sentir-te assim. Se tens realmente lutado e procurado trabalho, e sabes disso, não tens porque te sentir culpada. Se há alguma coisa que te faça sentir um pouco melhor, como a praia, acho que deves aproveitar. Até porque, rapidamente vais arranjar trabalho e depois férias, nem vê-las :)

R! disse...

*percebo o que queres dizer, mas pensa assim: tu estás à procura e não é por ires para a praia que desististe de o fazer, e se encontrares alguma coisa entretanto, é certo e sabido que deixas de ter verão para começares logo a trabalhar. portanto, continua à procura como tens feito e sempre que possível vai gozando uns momentos na praia porque podem ser os últimos este ano! e espero que sejam.. =)

Quase nos "entas" disse...

Entendo-te.... Há 2 anos passei por essa situação e sei q é uma faca de 2 gumes...
Mas tens a consciencia que tens procurado por isso aproveita um pouco tambem para relaxar.
Bjokas

amiga da onça disse...

Os desempregados são vitimas e não culpados.
Fazes bem ir até à praia para desanuviar um pouco, não adianta estar em casa à espera que o telemovel toque. Ele toca também na praia se for preciso.
Culpada não és de certeza, tem paciência, o sol nasce todos os dias.

Uena disse...

Relax :) Dá para fazer tudo! Procuras e praias e procuras mais um bocadinho.
E os outros que se lixem!

O Sexo e a Idade disse...

Ora aí está! A Uena tem razão é isso mesmo!
E mais enquanto vais estás na praia a aproveitar isso faz-te bem e poupa dinheiro ao país!
Serio! Tu já viste a quantidade de gente deprimida que anda para aí? Ele são baixas médicas, anti depressivos, consultas...isto custa dinheiro ao país e tu trabalhas (procurando trabalho e tratando da tua saúde mental, boa?

Karina sem acento disse...

Se fazes de tudo para encontrar trabalho, não te deves sentir culpada por ires à praia, antes pelo contrário. Pensa antes que ires à praia - ou onde quer que seja - é como uma forma de também desanuviares a tua cabeça, o que também é preciso ;)

*C*inderela disse...

Ó querida, se ficares fechada em casa há espera que o trabalho chegue ainda dás em maluca. Se procuras e se ainda não tens emprego é porque a culpa não é tua, isto está muito complicado! Por isso, aproveita algumas horas para tentar relaxar porque depois, quando começares a trabalhar, queres ter tempo e não tens.

Bjokas

Anónimo disse...

A S. tem razão.
Quando trabalhados suspiramos por umas horinhas livres mas o que as pessoas por vezes teimam em não entender é que, quando desempregados, qualquer momento dedicado à descontracção parece pecado.
Não devia ser assim.