16 de abril de 2012

Abandono Silencioso

Ontem a Grande Reportagem do Jornal da Noite da Sic tinha como tema “Abandono Silencioso”.

O tema abordado dizia respeito ao cada vez mais acentuado abandono universitário por parte de jovens com dificuldades. Confesso que fiquei de coração partido ao ouvir tais relatos. Todos sabemos que os tempos estão difíceis e que mesmo antes desta crise, já muitos jovens entravam na faculdade, e por motivos financeiros não conseguiam terminar os seus cursos.

Mas parece que este cenário está a ficar bastante mais grave nos tempos que correm e isso entristece-me, pois o futuro do nosso país está naqueles jovens e saber que algo que supostamente deveria estar acessível para todos como um curso académico, está privado a cada vez mais pessoas, é algo que os nossos governantes deviam analisar.

Estamos em tempo de contenção, eu sei, mas bolas não se pode cortar em tudo, principalmente na educação das pessoas. Nesta reportagem vi pessoas com imensa vontade de vingar, de aprender…. de fazer o seu curso e seguir os seus sonhos. Bem sei que muitos alunos podem estudar e trabalhar e que muitos outros há, que apenas andam na faculdade para fazer a vontade aos seus pais abonados. Mas há muita gente que mesmo trabalhando não consegue, e que por mais vontade que tenha, pode nunca vir a realizar o seu sonho e penso que isso revela a calamidade em que estamos a entrar.

Sou da opinião de que nem todos têm de ter um curso académico, e é um facto que há por ai pessoas muitíssimo bem formadas e muito competentes que não têm um (quanto a isto penso que nem há discussão possível, porque obviamente um curso académico não é sinónimo de boa formação e bom profissionalismo). Mas verdade seja dita, pode ajudar a ter um futuro melhor, e se as pessoas hoje em dia quase já não têm essa liberdade de escolha porque pura e simplesmente não conseguem sequer equacionar ir para a faculdade, algo está muito mal aqui. Algo está muito podre no nosso sistema e no nosso país! (e obviamente que não é apenas na educação)

3 comentários:

Teresinha disse...

Posso estar a ser errada, elitista ou o que me quiserem chamar mas por um lado é bom que o acesso ao ensino superior não seja para todos. Tenho muita pena, pode até acontecer-me não ter acesso ao ensino superior, porque não se sabe o amanhã mas está tudo tão lotado... é tão permitido entrar na faculdade! Para mim deviam existir critérios mais elevados para entrar na faculdade, nomeadamente classificações altas :-) Há que ter prestígio e não ir para a faculdade apenas com a ideia de ''vou tirar um curso''. Tem de se ir para um curso com a ideia de ter as classificações mais altas possíveis e ser-se o/a melhor!!

Viagem com tudo incluído disse...

Não podia estar mais de acordo contigo. Aliás sou da opinião de que há faculdades a mais no nosso país, assim como existem cursos a mais, muitos dos quais sem qualquer saída profissional. Enquanto tirei o meu curso e depois mestrado, assisti a muitos casos como o que referes, em que muitas pessoas quase não se esforçavam e só lá andavam para fazer a vontade aos seus pais abonados ou porque era giro ir para a faculdade. E perante isto também sou contra!

Mas também é um facto que pelo menos algumas das pessoas da reportagem que falo, pareciam ter vontade, mas também mérito para estar na faculdade, e isso ser-lhes negado por questões financeiras, parece-me triste. Mas é a realidade que temos :(

Anónimo disse...

Sem dúvida é uma realidade triste e que me preocupa. Não me parece correcto que o ensino superior seja exclusivo para quem o possa pagar, mesmo que sem mérito ou vontade alguma. Assisti a vários casos na faculdade que frequentei de pessoas que andavam lá por ser socialmente correcto, mesmo que concluam as licenciaturas em 10 anos. Contudo outros anseiam por fazê-lo e cada vez mais são criados muros financeiros que os impedem. Não devia ser assim.
M.